Quinta-feira 13 Agosto 2020  
   

 

Siga-nos no Facebook.

CAMINHO: HOME PAGE » Notícias »
O primeiro escritório nZEB no país e isolado com XPS da Iberfibran
Print

O primeiro escritório nZEB no país e isolado com XPS da Iberfibran


Portugal foi um dos protagonistas no #BlogAipex no 2019: saiba mais sobre a #nZEBoffice+, o primeiro escritório #nZEB no país e isolado com #XPS da Iberfibran.

 

Os excelentes valores de isolamento, a facilidade de instalação, a disponibilidade do material e a possibilidade de, em combinação com outros produtos, alcançar uma solução global com excelente desempenho no mercado foram algumas das razões por que o XPS foi escolhido.



Saiba mais em: http://bit.ly/2swFBeh





7ª Conferência Passivhaus Portugal 2019
Print

Decorreu nos dias 27 e 28 de Novembro de 2019, no Centro Cultural e de Congressos de Aveiro, a 7ª Conferência Passivhaus Portugal 2019 com a organização da Associação Passivhaus Portugal e da Homegrid.

A Iberfibran esteve presente na exposição com produtos e soluções adequadas à Passive House. Esta quinta edição da conferência contou com mais de 300 participantes na conferência e cerca de 250 nos workshops.

 

Passive House 2019 _ Iberfibran_01Passive House 2019 _ Iberfibran_02



Semana da Reabilitação Urbana do Porto – 2019
Print

DE 11 A 15 DE NOVEMBRO, O PALÁCIO DA BOLSA FOI O PALCO DA VII EDIÇÃO DA SEMANA DA REABILITAÇÃO URBANA DO PORTO.

A Iberfibran esteve presente na VII Semana da Reabilitação Urbana do Porto, evento que propõe um programa intenso de iniciativas focadas na reabilitação e regeneração urbanas, com especial enfoque na realidade da cidade Invicta

A edição de 2019 marca uma nova perspetiva sobre a evolução urbana da cidade, justificada pela nova dinâmica no investimento, no turismo e, por conseguinte, no imobiliário. Um novo foco, mais abrangente, que toca não só a reabilitação, mas também a regeneração e a recuperação urbanas, desenvolvendo-se sob o tema “REPORTO: Regenerar, Reabilitar e Recuperar”.

 

Iberfibran na Semana Reabilitação Porto 2019_01Iberfibran na Semana Reabilitação Porto 2019_02Iberfibran na Semana Reabilitação Porto 2019_03



Isolamento, o que é?
Print

É quase impossível que nunca tenha ouvido falar de “isolamento” ou “eficiência energética”. Sim, esses são tópicos reais, atuais e relevantes também no sector da construção.
Pode-se perguntar: como surgiu este tema, esta necessidade? Ou, como tem vindo a ganhar importância nas últimas décadas? Qual é o real motivo para tal?
As pessoas durante séculos construíam as suas casas de forma muito semelhante. Variando, naturalmente, a arquitetura e os materiais, em função do clima e dos recursos existentes no local.

Então por que somos tão “radicais” e pretendemos isolar tudo?
Bom, uma coisa é certa, as pessoas têm as mesmas necessidades fisiológicas. A verdade é que ao longo do tempo tornamo-nos um pouco mais exigentes; as nossas exigências de conforto tornaram-se mais elevadas. Mas em geral sempre precisámos de roupa para proteger o nosso corpo. Roupas diferentes, para climas diferentes, sempre fizeram parte da vida humana. De forma similar, sempre utilizamos abrigos ou (se quiserem) casas com o objetivo de nos proteger de todos os impactos externos.
Então, será que estamos a dizer que o isolamento é algo que faz parte da evolução humana?
Claro que sim. Todos os animais têm o instinto de se proteger, os humanos não são exceção. Precisam de isolar o seu corpo, de usar a envolvente correcta para seu “abrigo”, de se protegerem.

Construindo através do passado
Através dos séculos os métodos de proteção permaneceram quase os mesmos. Casas enterradas no chão, ou bem acima da água, localização apropriada, orientação solar … coberturas verdes, paredes de madeira, tijolos maciços, palha e lama…. Durante algum tempo foram utilizados materiais e produtos industriais, e de alguma forma, esquecemo-nos de verificar as suas propriedades isolantes… O final do século XIX e início do século XX trouxe uma verdadeira revolução na construção. A estabilidade estrutural e a segurança mecânica estavam no foco da construção da nova geração. No entanto, novos materiais, com propriedades diferentes das tradicionais, alteraram a vivência dentro dos edifícios. Para garantir o conforto, foi necessário trazer mais energia para dentro das nossas casas. Tivemos que desenvolver diferentes sistemas para permitir condições aceitáveis dentro dos edifícios (para aquecer, arrefecer, cozinhar etc.). O problema é que não pensámos sobre qual a fonte de energia e como chegava até nós, demos como garantido este novo paradigma. No entanto, a Humanidade começou a enfrentar crises de energia e tudo começou a mudar. Como sempre, os problemas trouxeram perguntas. Começamos a pensar sobre as fontes de energia, sobre o nosso planeta, e sobre como possibilitar uma vida e construção sustentáveis para o futuro. A evolução constante e desenfreada foi posta em causa e foi necessário redefinir o conceito. Se analisarmos como as gerações anteriores viviam percebemos os erros que se cometeram, e enquanto sociedade devemos aprender com eles.

Necessidade de isolamento

Mesmo olhando de forma muito simples e superficial, podemos notar a diferença entre os materiais de construção tradicionais e antigos, como madeira, argila e pedra, e blocos industriais feitos cimento, betão e ferro. Devido a ótimas propriedades mecânicas dos novos materiais a espessura da envolvente dos edifícios foi diminuindo… Estes novos tipos de materiais e a redução das espessuras entretanto utilizadas nas construções trouxeram perdas de desempenho significativas à envolvente, nomeadamente, isolamento.
A construção estava a ficar mais desconfortável, as paredes e coberturas já não protegiam do frio, do calor e das humidades. Quando percebemos isso, foi necessário procurar e encontrar uma solução para trazer de volta, e melhorar, a propriedade de isolamento perdida nos nossos edifícios. Conseguimos melhorar algumas propriedades de alguns materiais de construção, mas tal não foi suficiente para atender ao nível de proteção agora solicitado. Desta forma, desenvolver uma camada de isolamento térmico, composta de materiais isolantes de elevado desempenho e projetados para trabalhar em conjunto com outros produtos de construção, tornou-se uma necessidade e posteriormente uma realidade.

Escolher o isolamento

Hoje designamos o grupo de produtos com as melhores propriedades térmicas de: isolamento térmico, e é utilizado em todos os edifícios. Materiais como lã de rocha e vidro, XPS, EPS, cortiça, poliuretano, etc. Esses produtos, além de boas propriedades térmicas, possuem muitas outras características diferenciadoras, como resistência mecânica, resistência à água ou ao fogo. Isso significa que eles não se comportam da mesma maneira numa construção, depende da sua posição na envolvente do edifício. Por exemplo, em alguns locais pode haver cargas elevadas, noutras a água pode estar presente de forma considerável, como numa cave ou em certas coberturas. Outras zonas necessitam de ser isoladas também do ponto de vista acústico ou do ponto de vista do ignífugo (fogo).

Destas necessidades deve surgir um produto de isolamento correto, cuidadosamente escolhido para o local da construção. É muito importante a escolha do produto certo de modo a garantir que este desempenha as suas funções de forma correta e otimizada. Apenas assim é possível evitar custos desnecessários, quer na fase de construção, quer durante a exploração. E esta é uma responsabilidade dos profissionais (arquitetos, engenheiros…) que estão a projetar, a construir ou a reabilitar a cada habitação.

 

 



ETA - European Technical Assessment
Print

A Fibran Nord (Eslovénia), certificou os produtos FIBRANxps de resistência à compressão 300kPa e 700kPa no Instituto Alemão de Engenharia de Construção DIBt (Deutsches Institut für Bautechnik), sendo estes os primeiros produtos para os quais foi concedido este tipo de ETA - European Technical.



Dia Nacional da Energia - 29 de Maio
Print

Dicas Verdes:

Substituir uma lâmpada incandescente de 100 W de potência por uma lâmpada fluorescente compacta equivalente (de alta eficiência);

Desligar os aparelhos no botão, em vez de desligar no comando pode levar a uma grande poupança;

Retirar os alimentos do congelador atempadamente, de forma a estes terem tempo de descongelar, e não necessitar de recorrer ao micro-ondas;

Baixar o lume dos cozinhados após estes iniciarem a sua fervura, consome menos gás e mantém a temperatura de cozedura. Desligue o lume um pouco antes de terminar o cozinhado, pois o calor presente no tacho é suficiente para acabar de cozer os alimentos;

Sempre que possível, evitar a centrifugação da máquina de lavar e secar a roupa ao sol e/ou vento. Esta energia é gratuita;

Ligar as máquinas de lavar roupa e louça só quando estiverem cheias e utilize os programas de mais baixa temperatura;

Para economizar energia sob a forma de aquecimento, isole melhor a habitação, por exemplo, os telhados, janelas, portas e paredes. Colocar vidros duplos;

Evitar a utilização de aquecedores com a resistência eléctrica à vista: o seu consumo é muito elevado e secam demasiado ao ar.

Evitar abrir a porta do forno durante o cozinhado, pois este vai precisar de bastante energia para recuperar a temperatura a que estava anteriormente;



First Previous MOSTRAR PAGINA 1 DE 3PAGINA  Next Last
ÚLTIMAS NOTÍCIAS... (Leia todas as noticias)
Rss Feeds
  01/08/2019  Isolamento, o que é?

Produtos FIBRANxps

Suporte Técnico

Construção

Indústria

Eficiência Energética


Copyright © 2011 Fibran Designed & Developed by Tessera